BeatBossa

quarta-feira, fevereiro 06, 2008

ressaca

carnaval é o tipo de época estranha e ao mesmo tempo fascinante. somos um povo privilegiado por termos cinco dias apenas para fazer festa. que se dane toda aquela baboseira capitalista que detesta feriados porque são dias a menos de produção. carnaval gera muita grana, por isso ele ainda existe, gera muita natalidade, trabalho pra polícia, para os hospitais, de alguma forma o país continua vivo depois de tudo isso. nada como uma boa chuva pra tirar o cheiro de mijo que impesta o centro de Floripa. Enquanto algumas pessoas preferem pagar cinquenta reais para não se misturar com a multidão e curtirem o carnaval com pessoas limpas e educadas como elas eu sinceramente prefiro a experiência antropológia da muvuca. tem todo tipo de gente, das boas e das ruins, das feias e das bonitas, das fantasiadas e das sérias, as saudáveis e aquelas para quem você pode oferecer até xixi de cachorro gelado que elas bebem e ainda pagam crendo ser uma alucinógeno novo. tem mulheres que querem sexo (todas querem na verdade), algumas explicitamente outras escolhem demais e ficam sem ninguém, muito adolescente que é até engraçado ver como eles correm e pulam de um lado para o outro como se ansiosos para agitar os hormônios em ebulição. meu carnaval começou legal, beijei na boca, fiz um sexo casual e foi isso. no sábado uma festa de quinze anos com meninas de quinze anos e casais, solteiras grávidas, solteiras muito feias para terem um namorado e as únicas mulheres que me interessaram eram a garçonete e a fotógrafa. voltei sozinho pra casa. domingo. uma festa de gente bonita, com dinheiro e bem cheirosa, bem vestida, bem educados, e com todos os dentes na boca. o jeito foi encher a cara mesmo para aguentar tanta rasgação, tanta empáfia e pra ser literal cu-doce. beijei na boca e foi uma bosta, porque sou ainda no tempo em que era bom pelo menos saber o nome de quem você estava beijando, hoje nem precisa isso, não precisa mais conversar, o que não passa de uma grande estupidez. segunda foi uma completa decepção porque não consegui um dedo de prosa com nenhuma mulher que seja; o que às vezes corrobora uma tese que tenho segundo a qual todas às mulheres interessantes a minha volta parecem estar comprometidas ou não me dão a mínima. às vezes acho que tenho um pouco de sorte e acho alguma safada pra fazer um sexo comigo, mas faz um longo tempo que não tenho um relacionamento sério e isso tem me incomodado, porque sou o tipo que gosta de relacionamentos sérios; às vezes me sinto meio ingênuo ou idealista demais, um pouco pessimista por vezes (e dá pra ser depois de ler Nelson Rodrigues e Dalton Trevisan?), o jeito é ir tomar mais uma pra suportar tudo isso.

Marcadores:

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial